20 de jan de 2019

FAMÍLIA PEREIRA DO PAJEÚ DAS FLORES.



Os parentes recepcionando Sebastião Pereira da Silva (Sinhô Pereira) cinquenta anos depois de deixar a sua Vila Bela (Serra Talhada-Pe) largando o cangaço e indo morar na região Centro Oeste do Brasil. Sinhô Pereira foi chefe do cangaceiro Lampião e dos seus irmãos, Antônio Ferreira e Livino Ferreira. 

À direita da foto, José Cassiano Pereira, meu tio avô, irmão da minha avó, Ana Pereira de Sá. 

Foto extraída do livro O Patriarca, do nobre parente Venício Feitosa Neves.


Adquira este livro com o professor Pereira lá de Cajazeiras no Estado da Paraíba, através deste e-mail: 

franpelima@bol.com.br

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1432021780187639&set=a.403796876343473.93818.100001394919228&type=3&theater

http://blogdomendesemendes.blogspot.com

http://blogdodrlima.blogspot.com
http://blogdomendesemendes.blogspot.com

18 de jan de 2019

BARRA DO IPANEMA: SAUDADES

Clerisvaldo B. Chagas, 18 de janeiro de 2019
Escritor Símbolo do Sertão Alagoano
Crônica: 2.042
NO CÂNION DO RIO IPANEMA COM A TV GAZETA. (FOTO: BASTINHO).
          Saudades do povoado Barra do Ipanema no município de Belo Monte. Emerge vez em quando no peito a preciosa monotonia da região ribeirinha, desde a nossa primeira visita e descoberta. Barra do Ipanema, ponto de encontro entre o rio Ipanema e o rio São Francisco, registrado na história há mais de seiscentos anos. Ponto de encontro de colonizadores, comerciantes e aventureiros que subiam de Penedo rumo aos sertões. Descoberta de ouro no último trecho do Ipanema faz parte das antigas narrativas pesquisadas. Foi ali onde fomos desembocar no dia 9 de janeiro de 1986. E na nostalgia do povoado, quantas histórias escondidas em suas águas passantes e terra seca de facheiros e mandacarus! Foi assim tudo anotado no livro “Ipanema, um rio macho”, editado no ano de 2011.
          E meus companheiros de incursão pelo rio Ipanema não mais existem. Para outra dimensão partiram o Benedito Pacífico, Wellington Costa e João Soares Neto. Também partiram outros personagens cujas fotos estão no livro, gente do próprio povoado. E depois da nossa expedição de 1986, ainda fui ali algumas vezes com alunos e outros companheiros. Novamente as subidas ao morro/ilha de Nossa Senhora dos Prazeres; os banhos no São Francisco; as fotos arrebatadoras e vazio enorme dentro do peito. Mesmo assim, a vontade aflora pedindo nova visita ao povoado para complementar a vida. Vou considerando a rodovia Batalha – Belo Monte com asfalto. Avaliando a idade, o companheirismo, a entranha da caatinga pesando tudo isso na balança do tempo, mapeando a vontade da volta.
           Não saem da cabeça as corredeiras do sítio Telha e o cânion do rio Ipanema naquele lugar impressionante que me marcou pelo resto da vida. Foi por isso que levei para a Telha a TV Gazeta que filmou pela primeira vez tão fantástico lugar. Voltar a Belo Monte sem visitar o cânion do Ipanema, não me parece atrativo, mesmo tendo que deixar a estrada principal e rodar por uma longa variante em dureção à serra das Porteiras. Amigo, saudade não tem dia, não tem hora, bate quando tem vontade de bater. Lê novamente o livro “Ipanema, um rio macho”, é deixar os olhos lacrimosos sem os companheiros para comentários.
          É doído retornar ao povoado Barra do Ipanema, em carne e osso.
          A vontade é muita, a coragem é pouca.


http;//blogdomendesemendes.blogspot.com

17 de jan de 2019

ENTRELINHAS (COMPLETO)

Por Aderbal Nogueira
https://www.youtube.com/watch?v=T4QGJq9aIPo&feature=share&fbclid=IwAR2kptXyLTPuuUEosjlE_ESOJddftzIgJGR8EcKLU0PyDzNOczl-i0DHFYM

Publicado em 6 de dez de 2018
Participação minha no programa Entrelinhas juntamente com o amigo historiador Beto sousa. Pauta do programa foi o Combate de Angico.
Categoria

https://www.youtube.com/watch?v=T4QGJq9aIPo&feature=share&fbclid=IwAR2kptXyLTPuuUEosjlE_ESOJddftzIgJGR8EcKLU0PyDzNOczl-i0DHFYM



http://blogdomendesemendes.blogspot.com

http://blogdomendesemendes.blogspot.com

15 de jan de 2019

VIRGULINO E SEU PAPEL...

Por Urbano Silva
Urbano Silva ao lado de Manoel Severo no Cariri Cangaço

Como nenhum outro personagem de sua época, Virgulino entendeu e definiu o seu papel no teatro social do nordeste, tendo com cenário a paisagem árida e os grandes vazios territoriais, espaço o qual ele soube preencher singularmente. Vaidoso, ostentava a auto denominação de Governador do Sertão, e assinava como Capitão, tendo como sua corte e exército seus fiéis cangaceiros. Conhecedor das estradas, atalhos e caminhos ocultos, era consciente da força de sua imagem para a posteridade, e tratou dela com todo o cuidado para as lentes do Benjamin. E foi sua vaidade que deu rosto ao Cangaço, fornecendo imagens que diretamente contribuíram para a sua implacável perseguição e morte.

Urbano Silva
Caruaru, Pernambuco

http://cariricangaco.blogspot.com/2015/



http://blogdomendesemendes.blogspot.com

DOIS VEREADORES DE MOSSORÓ QUE NÃO MERECEM MAIS SEREM REELEITOS.


Por José Mendes Pereira
A violência chegou até na Câmara Municipal de Mossoró quando dois vereadores (ver no site abaixo) se desentenderam e iniciaram uma briga através de socos.
Vereadores discutirem na câmara de qualquer cidade é normal, e que às vezes, um se irrita mais do que o outro, mas caminhar para uma luta corporal é um acontecimento meio ridículo. Fazem isso com eles mesmos que são amigos imagine leitor, o que farão com outro qualquer?
E agora! Qual será o pronome de tratamento que um terá com o outro, e o outro com um, no momento de discursar e precisar de dizer: "Venho agradecer a Vossa Excelência vereador Fulano de tal... ou, venho agradecer ao meu inimigo fulano de tal", ou ficará sem dizer nada?
A Câmara Municipal tem lá como representantes do povo mossoroense 21 vereadores, e estes são responsáveis pelo o desenvolvimento da cidade, apresentando os seus projetos para melhorar a cidade e o sofrimento do povo de uma maneira ou de outra.
Mas uma minoria está interessada em status, posição social, ser admirado pelo povo, ganhar um monte de dinheiro sem fazer quase nada, ou nada durante o seu mandato de vereador, muito embora muitos já a conhece de perto e de longe.
Estes que brigam não devem mais serem eleitos pelo povo. Politicamente devem ser banidos no dia da eleição.
Enquanto aqueles que não merecem (briguentos) ganham uma porção de dinheiro na Câmara Municipal de Mossoró, quando têm milhares de pobres passando fome sem saberem como irão hoje adquirir o sustento das suas famílias. Sejam representantes do povo e não da agressão, senhores vereadores!
Os senhores são homens que mereces respeito, e se os senhores não se respeitarem, a população também deixará de respeitá-los.

https://mossorohoje.com.br/noticias/25896-vereadores-alex-do-frango-e-raerio-araujo-trocam-agressoes-em-sessao-na-camara?fbclid=IwAR3ZJ8BoRB5wVrL5qXTMA7gVJNATPR-oQdbi4vav-77yOtbsFziiIlXyEbk

14 de jan de 2019

DONDE VEM ESSE POETA?

Clerisvaldo B. Chagas, 15 de janeiro de 2019
Escritor Símbolo do Sertão Alagoano
“Crônica”: 2.038

  Mais uma vez mergulhando no mundo encantado dos repentistas, vamos para três passagens que nos repasses orais, vão perdendo seus autores.
Estava havendo uma cantoria de pé de perede, quando algumas pessoas entraram na sala do desafio. Um dos poetas disse nos seus versos que a “trinca chegaram”. O companheiro rebateu imediatamente:

XILOGRAVURA: MARCELO ALVES SOARES

“Dizer a trinca chegaram
É erro de português
E mesmo só se diz trinca
Se a turma for de três
Donde vem esse poeta
Com dois erros duma vez?”.

     Entrou em cena a filosofia cabocla quando dois cantadores cantavam sobre uma seca que teria acontecido no Maranhão. Um deles terminou a estrofe:

...Quase tudo se acabando.

     O parceiro pegou a deixa fazendo uma estrofe de rima difícil, rica, rara e filosófica:

“Eu tava me sustentando
De fruta de macaúba
Mas o galho ficou alto
Eu não conheço quem suba
De vara ninguém alcança
De pedra ninguém derruba”.

     Em uma cantoria na roça chegava a hora dos elogios, isto é, elogiar as pessoas para arrecadar o dinheiro. Cada um que colocasse notas altas no prato da arrecadação. Foi aí que um pobrezinho chamado Joaquim, depositou o que possuía: apenas uma cédula amassada de um real. O repentista humilhou o coitado para não perder a verve:

“Parece que seu Joaquim
Passou a noite no mato
Com uma faca amolada
Tirando couro de rato
Deixou o rato sem couro
Botou o couro no prato”.

 FIM


http://blogdomendesemendes.blogspot.com

13 de jan de 2019

12 FAMOSOS QUE MORRERAM EM 2018

https://www.youtube.com/watch?v=4TKrP4Y7FDk
https://www.youtube.com/watch?v=gg2sK4pyHPI

http://blogdomendesemendes.blogspot.com